Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de Campo

Um blog que junta o entusiasmo pela fotografia com o fascínio pela Natureza. O objetivo é continuar a aprender através da observação e partilha.

Diário de Campo

Um blog que junta o entusiasmo pela fotografia com o fascínio pela Natureza. O objetivo é continuar a aprender através da observação e partilha.

Uma cotovia-de-poupa pousada em cima de um cartaz, perto de Mourão

Conhecia o célebre livro e a editora com o mesmo nome, mas faltava a ave propriamente dita. Até porque se, antes, tivesse parado para pensar um pouco sobre o assunto, teria chegado à conclusão de que não saberia reconhecer ou descrever uma cotovia. Foi preciso parar na praia fluvial de Mourão, na albufeira do Alqueva, para fotografar uma e ir à procura de mais informações sobre esta família de aves. Segundo a Wikipédia, cotovia é um termo genérico que pode ser aplicado a várias aves, pertencentes à mesma família Alaudidae. Ou seja, uma cotovia não é apenas um pássaro.

Mesmo assim, munido só desta fotografia, achei que aquela poupa seria suficiente para estabelecer uma identificação segura. Acabou por ser um pouco mais complicado do que isso. Na realidade, há pelo menos duas cotovias conhecidas no país por usarem este original penteado: a cotovia-de-poupa (Galerida cristata) e a cotovia-montesina (Galerida theklaea). Como distinguir as duas? Pelo bico. O Aves de Portugal enumera algumas diferenças subtis entre as duas cotovias e uma delas (e a mais pertinente neste caso, dada a fotografia de perfil) é a mandíbula inferior do bico da cotovia-poupa, praticamente reta.

6 comentários

Comentar post